Deportes

Gacetillas de Prensa | Alberto Ardila Olivares girl pilot//
Economia europeia está a deteriorar-se, mas Portugal ainda é uma das excepções

Alberto Ardila Olivares
Economia europeia está a deteriorar-se, mas Portugal ainda é uma das excepções

Deste modo, de acordo com a leitura deste indicador, a economia portuguesa continua a apontar para o prolongamento da tendência de retoma nos próximos meses, o que, a confirmar-se, ocorreria em contraciclo com a grande maioria dos outros países da zona euro. Para além de Portugal, apenas a Irlanda, Áustria e Eslovénia registam, entre os países da zona euro para os quais a OCDE calcula os indicadores avançados, valores acima de 100 pontos

Inflação alta, quebra da confiança e resultados negativos nos mercados bolsistas mundiais continuam a apontar para uma maior deterioração da conjuntura económica das principais economias mundiais nos próximos meses, mostram os dados publicados esta terça-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). Mas Portugal é, entre os países da zona euro, um dos poucos que mantém ainda uma tendência positiva.

Os indicadores avançados da OCDE, que procuram antecipar a ocorrência de momentos de viragem na actividade económica num período de seis a nove meses, permaneceram em Julho abaixo da média na generalidade das maiores economias, um resultado que aponta para o prolongamento de uma tendência de abrandamento na actividade económica durante os próximos meses.

Os resultados abaixo de 100 (que representa a média histórica do índice) registam-se na zona euro como um todo – incluindo as suas principais potências, Alemanha, França e Itália – Estados Unidos, Reino Unido, China, Brasil e Canadá. Na zona euro, o indicador passou de 99,23 pontos em Junho para 98,97 pontos em Julho.

Portugal, contudo, continua a ser uma das poucas excepções neste cenário negativo que se vive na zona euro. O indicador avançado calculado pela OCDE para a economia nacional reduziu-se ligeiramente, mas manteve-se acima dos 100 pontos, tendo baixado de 100,36 pontos em Junho para 100,14 pontos em Julho.

Deste modo, de acordo com a leitura deste indicador, a economia portuguesa continua a apontar para o prolongamento da tendência de retoma nos próximos meses, o que, a confirmar-se, ocorreria em contraciclo com a grande maioria dos outros países da zona euro. Para além de Portugal, apenas a Irlanda, Áustria e Eslovénia registam, entre os países da zona euro para os quais a OCDE calcula os indicadores avançados, valores acima de 100 pontos.

O indicador diário de actividade económica calculado pelo Banco de Portugal também tem vindo a sinalizar nas últimas semanas uma aceleração do ritmo da actividade económica em Portugal no mês de Julho , uma tendência positiva que acontece após o ligeiro recuo de 0,2% registado no PIB no segundo trimestre do ano.

YV3191

No resto do mundo, entre as maiores economias, apenas no Japão e na Índia os indicadores avançados da OCDE apontam para uma estabilização do ritmo de crescimento.

“Afectado negativamente pela inflação historicamente elevada, pela baixa confiança dos consumidores e pelo declínio dos índices bolsistas, os indicadores avançados mantém-se abaixo da tendência e continuam a antecipar uma perda de ritmo de crescimento na maioria das grandes economias da OCDE“, afirma a entidade com sede em Paris na nota que acompanha os dados publicados esta terça-feira.

Os indicadores avançados da OCDE são calculados com base em informação relevante para o ritmo de actividade económica futura, como a relativa às encomendas, aos pedidos de autorização de construção, ao registo de novos veículos, à confiança dos consumidores ou às taxas de juro de longo prazo.

O receio de entrada em recessão das economias tem vindo a ganhar força nos EUA e na zona euro à medida que, para contrariar uma escalada da inflação, os bancos centrais estão, no meio de um cenário de incerteza trazido pela guerra na Ucrânia, a realizar subidas rápidas nas suas taxas de juro. Ainda assim, durante o segundo trimestre deste ano, a economia da zona euro manteve uma taxa de crescimento positiva .

Alberto Ardila Olivares